Pular para o conteúdo

Violências contra a mulher são discutidas na peça Dolores, que estreia dia 31/8 no Espaço Elevador

A peça Dolores, do dramaturgo norte-americano Edward Allan Baker, ganha montagem da companhia Pravda! Pravda!! ITC com direção de Fernando Vilela e elenco composto por Carolina Victor e Maria Bopp. O espetáculo faz curta temporada no Espaço Elevador de 31 de agosto a 9 de setembro, com sessões sábados, 21h; domingos, 20h e segundas-feiras, 21h. Ambientada num ambiente doméstico, Dolores aborda a forma com que o machismo se impõe como uma norma social que estabelece diversos tipos de violência contra a mulher.
Escrita em 1986, a peça se relaciona de forma direta com o que vivemos ainda hoje. “Baker constrói de maneira ímpar esse quadro duro e preocupante, que é sempre negligenciado por uma cultura e por uma sociedade construída por homens e seus machismos”, diz o diretor Fernando Vilela. Pouco montado no Brasil, o dramaturgo lida com questões sociais de grande magnitude e urgência. 
Além de dirigir o espetáculo, Fernando também assina sua tradução para o português a partir do pedido da atriz Carolina Victor. Na sala de ensaio, Fernando, Carolina Victor e Maria Bopp também submetem o texto a revisões constantes. “A tradução é um ato complexo, porque ela tem como objetivo sempre o diálogo com uma localidade e uma época diferente da de origem; e uma necessidade de se fazer entender, sem perder as estruturas poéticas do autor, da autora e do próprio contexto de escrita.”, complementa o diretor. 
O cenário pensado para Dolores, assinado por Fernando e pela cenógrafa Marina Lickel, não permite fugas e distrações – evidenciando assim a problemática trazida pelo texto. Seco, reto e recortado, ele dá possibilidade para que as atrizes se situem em espaços que podem ser lidos como uma cozinha ou um ringue de luta.
A paleta de cores do cenário e do figurino se somam a uma ambientação dos anos 1980 proposta pela trilha sonora. A escolha de manter esse distanciamento estético com a contemporaneidade é justamente dar a noção de como o problema da violência contra a mulher continua grave e presente.
“Nos meus trabalhos como diretor, a minha busca é sempre o encontro da forma com o conteúdo, e vice-e-versa. É na fusão destes fatores tão importantes que a nossa experiência humana se arrebata, e assim conseguimos gerar espaços em nós e no coletivo de questionamento, de maravilhamento”, complementa Fernando.
O espetáculo é a segunda criação do Pravda! Pravda!! ITC no Brasil e dá sequência à pesquisa do grupo de investigar a verdade cênica como resultado da fricção entre realidade e ficção – o primeiro espetáculo montado pela companhia é O Filho do Moony Não Chora, de Tennessee Williams, também dirigida por Vilela.
Ficha Técnica
Dramaturgia: Edward Allan Baker.
Direção: Fernando Vilela.
Elenco: Carolina Victor e Maria Bopp. 
Assistência de Direção: Camila Rocha. 
Desenho de Luz: Padu Palmario. 
Cenografia: Fernando Vilela e Marina Lickel. 
Realização: Pravda! Pravda!! ITC.
Serviço
Dolores
De 31 de agosto a 9 de setembro. Sábados, 21h; Domingos, 20h e Segundas-feiras, 21h.
Local: Espaço Elevador (R. Treze de Maio, 222 – Bela Vista).
Ingressos: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia). 
Duração: 40 minutos.
Classificação Indicativa: 16 anos.
Gênero: Drama
Capacidade: 52 lugares.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: