Pular para o conteúdo

Curta!On exibe “Especial Democracia”, com documentários e séries sobre o tema

No mês em que relembramos uma das passagens mais tristes da história do Brasil, a assinatura do AI-5, ocorrida em 13 de dezembro de 1968, o Curta!On – Clube de Documentários preparou o “Especial Democracia”, com 11 títulos, entre filmes e séries documentais. A proposta é estimular o debate sobre a importância e os desafios da democracia, e endossar o coro de que não podemos retroceder nos avanços conquistados. 

Trata-se de uma seleção de oito documentários e três séries que abordam o tema sob as mais variadas perspectivas. Entre os longas documentais, estão: “Democracia em Preto e Branco”, de Pedro Asbeg; “O Paradoxo da Democracia”, de Belisario Franca; “O Mês Que Não Terminou”, de Francisco Bosco e Raul Mourão; e “Excelentíssimos”, de Douglas Duarte. Já entre as séries, destaca-se “O Dia Que Durou 21 anos”, de Camilo Galli Tavares.

O Curta!On – Clube de Documentários é um streaming da Claro/NET disponível no NOW. Totalmente dedicada a documentários, a plataforma conta com a chancela e a curadoria do canal Curta! e já conta com mais de 450 produções em seu catálogo.

Confira a programação na íntegra:

DOCUMENTÁRIOS

Democracia em Preto e Branco: Narrado por Rita Lee e dirigido por Pedro Asbeg, o documentário “Democracia em Preto e Branco” aborda o movimento ideológico-futebolístico chamado “Democracia Corinthiana”, focando sobretudo na figura de Sócrates, jogador do Corinthians. O longa, produzido pela TV Zero, mostra o panorama esportivo, musical e político de uma época em que o país fervilhava em meio a greves e protestos pelas eleições diretas. 

Sobral – O Homem Que Não Tinha Preço: O documentário relembra a trajetória do jurista Heráclito Sobral Pinto, que ganhou visibilidade ao defender a democracia durante a ditadura militar. O longa-metragem é dirigido pela neta do jurista, a cineasta Paula Fiuza, e traz uma série de depoimentos de advogados e historiadores, além de imagens de arquivo que revelam o advogado e ressaltam a importância de seu trabalho na defesa da justiça e dos direitos humanos. Um dos depoimentos do filme é de Anita Leocádia Prestes, filha dos militantes comunistas Luiz Carlos Prestes e Olga Benário. 

Excelentíssimos: O diretor e roteirista Douglas Duarte e sua equipe estavam na hora e no lugar certos para assistir de perto a uma das mais importantes passagens da história recente do Brasil: o processo de impeachment de Dilma Rousseff. O que era para ter sido apenas um registro do panorama político diário tornou-se o documentário “Excelentíssimos”, uma produção da Esquina Filmes, que registrou os bastidores e o cotidiano do Congresso Nacional em momento de efervescência e extrema polarização.

Condor: As diferentes versões sobre a conexão entre as ditaduras militares do Cone Sul nos anos 1970 estão em “Condor”, documentário de Roberto Mader sobre a operação militar de mesmo nome. O filme apresenta depoimentos de vítimas e de algozes, que revelam como Brasil, Argentina, Chile, Bolívia, Paraguai e Uruguai perseguiram, torturaram e mataram, com apoio logístico e financeiro dos Estados Unidos, militantes de esquerda contrários aos regimes militares desses países. 

O Paradoxo da Democracia: O filme de Belisario Franca mostra que a noção de democracia foi posta em xeque em nações como Brasil, Estados Unidos, França, Egito e Ucrânia, por meio de fortes manifestações que culminaram na queda de governos, seja por vias eleitorais ou por golpes de estado. Pensadores respeitados em todo o mundo, como Jacques Rancière e Juan Carlos Monedero, analisam os diferentes contextos sociais em que está inserido esse sentimento de insatisfação, que parece unificar sociedades tão díspares.

Uruguai na Vanguarda: Na segunda metade do século XX, assim como outros países latino-americanos, o Uruguai foi marcado por uma ditadura que reprimiu duramente os movimentos sociais e os partidos, bem como a livre reunião de pessoas e a cultura popular. Porém, a resistência se fortaleceu e, embalada pelo tambor do Candombe — ritmo de origem africana bastante popular no país —, conquistou não apenas o fim do regime militar, como também abriu caminhos para outras pautas dos movimentos sociais.  Todo esse processo político é tema do documentário “Uruguai — Na Vanguarda”, de Marco Antônio Pereira.

O Mês Que Não Terminou: Em “O Mês Que Não Terminou”, o espectador relembra dois movimentos internacionais de 2011, o “Occupy Wall Street”, em Nova York, e “Os Indignados”, em Madrid, fazendo uma ligação entre essas ações e as manifestações que ocorreram no Brasil durante junho de 2013. Segundo os diretores, essa agitação desembocou nos protestos a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2014; também teria sido motor de propulsão da Operação Lava Jato e da ascensão da extrema direita no Brasil. 

Born Free – Filhos da Revolução: Celebrando os 20 anos do fim do apartheid e a eleição de Nelson Mandela, primeiro presidente negro de uma África do Sul democrática, o país voltou às urnas em 2014 para escolher um novo líder. Eram eleitores que votariam pela primeira vez, a geração “Born Free”, registrada pelo documentário de Bernardo Rebello.

O Dia Que Durou 21 Anos: O documentário do diretor Camilo Galli Tavares, dividido em três episódios, revela detalhes sobre a participação dos Estados Unidos no golpe militar de 1964 no Brasil, bem como importantes documentos americanos considerados secretos durante o regime. A produção apresenta textos de telegramas, áudio de conversas telefônicas, depoimentos e imagens inéditas. A narração fica por conta do jornalista Flávio Tavares, que participou da luta armada, foi preso, torturado e exilado político. 

Imagens do Estado Novo: Com intenso trabalho de pesquisa e de produção, em “Imagens do Estado Novo 1937- 45”, o diretor Eduardo Escorel recorre a cinejornais, cartas, filmes, diários e músicas populares para explorar as contradições do período político histórico que dá nome à obra. No primeiro episódio, imagens oficiais e registros de família, o diário de Getúlio Vargas e músicas de época revelam a consolidação do regime autoritário até as vésperas do golpe que dá início ao Estado Novo, com a suspensão dos direitos constitucionais, censura à imprensa e intensificação do anticomunismo no Brasil e no mundo.

História do Anarquismo: Voltando aos principais acontecimentos dos últimos dois séculos de História Social, essa série de três documentários mostra as origens e o destino da ideologia política que tem lutado contra todos os deuses e mestres há mais de 150 anos. A partir de materiais de arquivo nunca antes vistos e outros esquecidos, além de vasta documentação, a série reconta a história desse movimento que, de Paris a Nova York, de Tóquio a Buenos Aires, tem tentado mudar o mundo com seus ideais de liberdade e revolta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: