Pular para o conteúdo

Muhammad Ali: a incrível trajetória do homem que abalou o mundo

Foi em outubro de 1954 que a vida de Muhammad Ali, então com 12 anos, começou a mudar. Enquanto pedalava de bicicleta com seu irmão Rudy e um amigo, uma intensa chuva forçou os adolescentes a buscarem abrigo em um auditório no centro de Louisville. Quando saíram do local, descobriram que a bicicleta havia sido roubada, então se dirigiram ao porão para relatar o episódio a um policial. Lá encontraram Joe Elsby Martin, que estava de folga, e atuava como treinador de boxe de um grupo de pugilistas amadores. Já na sua segunda visita ao auditório, Ali subiu ao ringue e foi esmurrado – no que provavelmente foram os primeiros golpes dos cerca de 200 mil colecionados em sua carreira. Para o jovem, o ginásio abriu um mundo e atendeu a uma necessidade.

Mas a luta de Ali não era apenas nos ringues. Bisneto de escravo e neto de um homem que, antes de ser preso por assassinato, tinha tudo para se tornar um jogador de beisebol profissional – se os grandes times não proibissem jogadores negros –, ele percebeu que teria que conviver com os efeitos da escravidão. Apesar do “racismo polido” que exibia Louisville, onde morava a família Clay, os efeitos da desigualdade eram muitos – e perduram em muitas localidades até hoje. Em 1949, a renda média anual de trabalhadores negros na cidade era de 1.251 dólares, enquanto dos brancos era quase o dobro, somando 2.202 dólares. Além disso, as condições de trabalho da população negra eram mais sujas e perigosas, apesar dos salários inferiores. O acesso ao parque mais popular de Louisville, Fontaine Ferry Park, também só era permitido para brancos. “Ficávamos olhando pela cerca”, contou Rudy Clay, “mas não podíamos entrar”.

Muhammad Ali: Uma vida é o resultado de uma extensa e inédita pesquisa, com acesso a mais de quinhentas entrevistas e milhares de páginas de documentos e gravações do FBI e do Departamento de Estado americano da década de 1960. Nessa biografia excepcional, escrita por Jonathan Eig, vemos o retrato de uma das personalidades mais ilustres da segunda metade do século XX: das lutas mais famosas da história do boxe aos detalhes mais íntimos da trajetória pessoal de Ali, sua atuação política, a desastrosa vida financeira, sua fé e os momentos em que sua saúde começou a se deteriorar.

SOBRE O AUTOR

Jonathan Eig é autor best-seller de quatro livros, incluindo os renomados Luckiest Man e Opening Day. Escreveu para veículos como New York Times, New Yorker e Washington Post, e colabora com o Wall Street Journal. Muhammad Ali foi considerado o melhor livro do ano pela revista Sports Illustrated, e um dos melhores livros do ano pelos jornais Wall Street Journal e New York Times.

Muhammad Ali: Uma vida
Jonathan Eig

Tradutor: Maria Lúcia de Oliveira

770 pág. | R$142,90

Record  | Grupo Editorial Record

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: