Pular para o conteúdo

Gramática da fantasia – Uma introdução à arte de inventar histórias

Gianni Rodari (1920 – 1980) foi um gênio criativo e um ser humano absolutamente devotado à justiça social e às crianças. Sua obra é permeada pela necessidade de explorar a inventividade sem limites inerente à infância, em benefício de uma sociedade melhor. No livro Gramática da fantasia – Uma introdução à arte de inventar histórias (Summus Editorial, 208 p., R$ 75,70), o educador, jornalista e escritor de literatura infantil compartilha as teorias que o tornam, ainda hoje, um bálsamo na condução do imaginário das crianças. Publicada no mundo todo, a reedição brasileira é lançada com notas explicativas, especialmente elaboradas para complementar a tradução.

As ideias de Rodari vão muito além do ambiente escolar, fustigando o binômio fantástico, a importância dos contos populares e lendas, do quão transformadora pode ser a fase de descoberta dos contos de fadas, parlendas, poemas, livros infantis e o quanto sugerem expansão à personalidade. A primeira parte do livro traz uma seleção de atividades para que tanto professores e pais desenvolvam histórias enquanto interagem, como mostra maneiras de motivar as crianças a criarem suas próprias fantasias e contos.

“Toda essa atividade tem como objetivo não só um contato afetivo com a criança — contato esse que não deve ser desprezado —, o desenvolvimento da linguagem, da lógica, da estética, mas, principalmente, a liberação da criatividade, da imaginação, da fantasia.

Mas é no final do livro […] que o autor realmente nos desvenda os objetivos desse trabalho, objetivos basicamente educacionais e, por isso mesmo, revolucionários. Chamando-nos a atenção para o fato de que a psicologia — e eu diria a pedagogia, também — preocupa-se muito mais com a atenção e a memória do que com a imaginação e a fantasia, Gianni Rodari nos diz textualmente: “[…] a escuta paciente e a memória escrupulosa constituem as características do aluno-modelo, que, em geral, é o mais conveniente e mais dócil”.

“E nos mostra que os setores mais poderosos da sociedade realmente não têm nenhuma intenção de privilegiar a imaginação e a criatividade, pois não desejam que as pessoas aprendam a pensar, já que o pensamento criativo seria a arma mais eficaz de transformação do mundo e, portanto, de ameaça a uma ordem social conhecida, estabelecida e vantajosa para eles”, trecho extraído da apresentação da obra feita pela escritora de livros infantis, Ruth Rocha.

“A presente “gramática da fantasia” […] não é nem uma teoria da imaginação infantil (seriam necessárias mais coisas…) nem uma coleção de receitas, nem um compêndio de histórias, mas, sustento, uma proposta capaz de conviver com tantas outras que procuram enriquecer com estímulos o ambiente (casa ou escola, não importa) em que as crianças crescem”, na definição de Gianni Rodari.

O autor

Giovanni Francesco Rodari, que ficaria conhecido como Gianni Rodari, nasceu em 23 de outubro de 1920 em Omegna, aldeia do noroeste da Itália. Formado professor em 1937, cursou no ano seguinte a Faculdade de Idiomas da Universidade Católica do Sagrado Coração, em Milão, mas logo abandou o curso e dedicou-se ao ensino de crianças em cidades vizinhas. Convocado para lutar pelo ditador Benito Mussolini durante a Segunda Guerra Mundial, Gianni abandonou a farda oficial e entrou para a Resistência italiana. No ano final da guerra, em 1945, resolveu abandonar o magistério e dedicar-se inteiramente à militância política. Depois, trabalhou como jornalista e encontrou o que chamava de “segunda carreira”: a de escritor. Três anos depois, publicou sua primeira obra infantil. Inicialmente atacado por ser de esquerda, com o passar dos anos e a mudança do clima político Rodari passou a ser reconhecido na Itália como um autor de literatura infantil que encantava as crianças. Lançada em 1973, sua Gramática da fantasia se tornaria sua obra‑prima para professores, pais e profissionais da educação. Em 10 de abril de 1980, Rodari foi internado em uma clínica para operar uma trombose na perna esquerda. Quatro dias depois, morreu de choque cardiogênico, um dos casos mais graves de infarto. Tinha 59 anos.

Título: Gramática da fantasia – Uma introdução à arte de inventar histórias – 12ª Edição revista

Autor: Gianni Rodari (1920 – 1980)

Editora: Summus Editorial

Preço: R$ 75,70 (E-book: R$ 45,40)

Páginas: 208 (17 x 21 cm)

ISBN: 978-65-5549-040-4

Atendimento ao consumidor: (11) 3865-9890

Site: www.gruposummus.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: