Pular para o conteúdo

Eu Já Estive Em “Não Force, a Vida Flui”, de Manuel Clemente

Deixa eu te falar… Não Force, a Vida Flui, do escritor português Manuel Clemente, é daqueles livros que vai chegando devagar e conquistando espaço no seu coração. Publicado pela Editora Ágora/Grupo Summus, a primeira obra de Manuel traduzida para o português aqui do Brasil deixa um quentinho no coração a cada capítulo lido.

A obra é composta por mais de 50 capítulos e é daqueles livros que você pode ler um capítulo por dia e/ou ainda de forma aleatória, sem precisar de uma sequência. É muito encantador perceber como Manuel é sensível e detalhista dando nome a alguns personagens que passaram pela sua vida e muitos detalhes aos cenários e aos nossos sentimentos. E ainda cada fim de capítulo tem um Deixa eu te Falar com algo para pensarmos mais sobre.

O medo permeia parte da obra, deixando claro que ainda é algo que temos muito que aprender como lidar. O medo da morte, o medo de não ser aceito, o medo de não ser feliz e com isso a vida vai passando desapercebida, sem ser aproveitada. E Deixa eu te Falar: a morte é uma obrigação, viver é uma opção!

São muitos os trechos que podem ser retirados do livro. No capítulo “Você só precisa ser você mesmo” o autor diz que o caminho do autoconhecimento e da descoberta dos nossos recantos mais profundos é a única forma de nos despirmos de tudo que não nos serve. Em “Fome de Viver”, ele nos lembra que a única coisa que a comparação faz é trazer à superfície questões internas que ainda precisamos resolver. Em “Fora do Lugar” Manuel diz que ter consciência do lugar das coisas é tão importante quanto ter as coisas no lugar.

Vamos a mais alguns trechos do livro:

– Apesar de rimar, quantidade não é felicidade. A verdadeira riqueza não vem do aumento da conta bancária, mas de não precisarmos que ela cresça.

– As melhores escolas que frequentei foram, sem dúvida, os diversos locais de trabalho por onde passei.

– Todos somos feitos de altos e de baixos. Só é representado pela linha reta quem já nos deixou.

– Sempre que você cruzar com alguém, pode ter certeza de uma coisa: aquela pessoa tem algum problema. Em maior ou menor escala, cada um de nós tem sua cota de escuridão.

– Em vez de guardar segredo, experimente antes guardar saúde.

– É quando abraçamos a dor e aceitamos que ela começa a doer menos.

– Antes de jurar lealdade a alguém, procure primeiro garantir se está sendo fiel à pessoa que você é, pois sem começos não pode haver finais felizes.

Sinope: desde cedo, nos habituamos a guiar a nossa existência pelo medo. Vivemos em constante estado de alerta, sempre com receio de que algo de mal nos aconteça. Essa insegurança permanente, tantas vezes inconsciente, não nos permite viver de forma plena. Quantos de nós já tivemos medo de arriscar e falhar? Quem já ficou preso numa relação infeliz com receio da solidão? Quantas decisões deixamos de tomar por medo do julgamento dos outros? Quantos sonhos adiamos temendo o desconhecido? Uma das principais fontes de angústia e ansiedade é a nossa necessidade de controlar tudo o que nos rodeia. Alimentar a esperança de um mundo previsível, onde o incerto não tem lugar, não passa de uma ilusão. E se experimentássemos confiar na ordem natural (e invisível) da vida? Por que não aceitar, de coração aberto, tudo que nos acontece? Não force, a vida flui não é um manual, uma fórmula ou um atalho. É uma viagem de regresso à essência, aos sonhos e às vulnerabilidades comuns a todos nós. Um testemunho intimista e genuíno de alguém que, tal como o leitor, não quer que o medo o impeça de viver.

Manuel Clemente nasceu em Lisboa em 1989 e, anos mais tarde, formou-se em Gestão e Engenharia Industrial. Depois de perceber que o mundo corporativo não o fazia sentir-se realizado, abraçou uma missão de voluntariado em Cabo Verde e, por lá, aprendeu a pensar com o coração. Em 2016, começou a cativar os primeiros leitores na sua página no Instagram. Em Portugal, publicou o seu primeiro livro, Se Sentes, Não Hesites, em 2019 e o segundo, Em Caso de Dúvida, Escolhe o Que Te Faz Feliz, no ano seguinte. Adora brincar com as palavras para desconstruir a realidade e questionar o estabelecido. Gosta de dormir para sonhar e de acordar para realizar. Acredita que ninguém é zé-ninguém e que cada um deve tentar viver a sua melhor vida.

Não Force, a Vida Flui – Quando você escuta o coração sempre dá certo, do autor português Manuel Clemente, publicado pela Editora Ágora/Grupo Summus, tem 215 páginas e é dividido em cerca de 50 capítulos. Está à venda no site da editora Ágora e na Amazon.

Janaína Leme

@eujaestiveem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: