Pular para o conteúdo

Eu Já Estive Em “Raios e Trovões – a história do fenômeno Castelo Ra-Tim-Bum”, de Bruno Capelas

Quando o Grupo Summus me deu a oportunidade de ler essa obra eu rapidamente abracei. Eu amo as exposições do MIS – Museu da Imagem e do Som e lembro bem que a exposição sobre o Castelo Ra-Tim-Bum foi uma das poucas que não consegui ir, justamente por conta da fila interminável que Bruno Capelas relata logo no início da obra. Eu não acompanhei Castelo Ra-Tim-Bum na TV, sou de uma geração anterior, a de Bambalalão, mas lembro bem o quanto a criançada amava esse castelo e já formada e acompanhando o mercado jornalístico, o quanto ele foi importante para a emissora. Aqui em casa mesmo, meu irmão, no auge dos seus 40 anos, lembra o nome de todos os personagens e seu preferido era a coruja Adelaide.

Para os personagens, Castelo Ra-Tim-Bum foi marcante, mas como o próprio autor relata também, tem gente que ainda é reconhecido pelo trabalho na TV Cultura – uns abraçam, outros querem descanso. Na minha carreira com Games e Tecnologia acompanhei muito Luciano Amaral e pude ver de perto em algumas oportunidades o quanto ele era querido por todo mundo que acompanhou seu trabalho na emissora. Também, não era por menos. Claro que todos tinham seus cachês e salários, mas colocar o Castelo de pé, foi muito mais do que um trabalho, foi paixão por tudo o que estava sendo feito, como pode ser lido nas páginas do livro.

Raios e Trovões – a história do fenômeno Castelo Ra-Tim-Bum foi o trabalho de conclusão de curso do jornalista Bruno Capelas, que depois de tantas entrevistas realizadas – mais de 30 -, valeu super a pena transformar em um livro. Bruno tem o trabalho de contar o antes, o durante e o depois do fenômeno, atualizando o leitor de onde parte de toda a equipe que fez o Castelo ser o sucesso que foi – mais de 200 pessoas – está atuando nos dias de hoje.

Para quem chegou já em Castelo Ra-Tim-Bum, a TV Cultura teve uma série de programações que chamaram a atenção dos pequenos antes: Bambalalão, Glub Glub, O Mundo da Lua e o próprio Ra-Tim-Bum. Depois do Castelo, considero Cocoricó um fenômeno também. Mas porque não existiu outro programa tão famoso quanto Castelo Ra-Tim-Bum? Bruno responde também, analisando justamente com o cenário que temos hoje diante da concorrência do streaming onde as crianças assistem o que querem a hora que querem, sem se preocupar com a hora em que o programa preferido estaria no ar.

Como jornalista, amo esse tipo de leitura, que nos traz o histórico de uma emissora tão importante para o Brasil e que sou telespectadora atualmente. O livro é bem completo, repleto de informações, inclusive contextualizando com acontecimento da época, como a implantação do Plano Real, o cenário político principalmente no Estado de São Paulo, entre outras informações. Para quem olha a Cultura e pensa em uma emissora “das antigas”, foi pioneira no Chroma Key e nas animações de massinhas, entre outras coisas.

Sinopse: “Morcego, ratazana, baratinha e companhia: está na hora da feitiçaria!”. Lançado em 1994 pela TV Cultura, o Castelo Rá-Tim-Bum é até hoje a maior produção infantil já feita pela televisão brasileira. Nesse sentido, Raios e trovões dá a senha para os leitores que quiserem entrar nos bastidores do programa: dos detalhes de figurinos e cenários à rotina de gravações, passando pela criação dos roteiros e escolha do elenco. Baseado em mais de 30 entrevistas com quem viveu o Castelo, o livro mostra como a Cultura conseguiu, em meio a um dos piores momentos da economia brasileira, realizar um projeto que marcou gerações, unindo entretenimento, informação e educação. Para isso, Bruno Capelas faz um mergulho pela história da emissora, em uma trajetória que passa por antenas, incêndios, bonecos de espuma e muito bom humor. Raios e trovões também avança até os dias de hoje, contando por que personagens como Nino, Zequinha, Dr. Victor, Celeste, Bongô, Penélope e Etevaldo permanecem vivos no coração e na mente de crianças pequenas e de outras já bem crescidas – afinal, “porque sim não é resposta!”

Bruno Capelas é editor de tecnologia e inovação do O Estado de S. Paulo. É também colunista de tecnologia da Rádio Eldorado (107,3 FM), em São Paulo. Além do Estadão, passou pelas redações do iG e do IGN Brasil. Formado em Jornalismo pela Universidade de São Paulo, é ainda colaborador do portal independente Scream & Yell, pelo qual já escreveu sobre festivais de música no exterior e no Brasil, bem como cobriu cinema e literatura. Nascido em 1992, o autor faz parte da “geração Cultura”, que cresceu com os programas da emissora mantida pela Fundação Padre Anchieta – foi com produções como Castelo e Mundo da Lua que ele aprendeu a ler e escrever, por exemplo. Raios e trovões é seu primeiro livro. 

Raios e Trovões – A história do fenômeno Castelo Ra-Tim-Bum, escrito por Bruno Capelas, tem 239 páginas e foi publicado pelo Grupo Summus. Está disponível nas livrarias, nas plataformas de e-commerce e no site da Editora. Leitores do Eu Já Estive Em têm 15% de desconto com o código EUJAESTIVEEM15 (válido até o dia 31/08/2022).

Janaína Leme

@eujaestiveem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: