Pular para o conteúdo

Eu Já Estive Em “Literatura Afeminada”, de Amarildo Felix

Para todas as bichas que precisam abrir caminho com a foice da presença. É assim que Amarildo inicia seu livro de poesias, Literatura Afeminada. Não são poesias de uma vida feliz, são poesias de uma vida real. O autor é extremamente sensível ao mesmo tempo que toca fundo na alma com as palavras. Também é muito observador, transformando detalhes em poesias profundas, como em A Lembrancinha: “eu perdi a lembrancinha que haviam me dado – uma lembrancinha sem valor de moedas -, mas o valor de moedas inventadas pelo homem não vale nada. A lembrancinha que havia perdido era muito cara para mim, em lembranças.”

É muito difícil resenhar um livro de poesias então preferi separar alguns trechos, assim como fiz acima com Lembrancinha. Esse trecho em “quando soube”, poesia que conta sobre quando se descobriu gay, também me chamou atenção: “eu me soube viado pelos silêncios, eu me soube viado pelas sequências de nãos, eu me soube viado pelos risos debochados dos adultos que me deveriam ensinar amor.”

Esse trecho que separei em “negação”, acredito que possa retratar um pouco sobre como ele faz poesia não somente sobre amor: “não quero mais escrever sobre o amor, por isso, a partir de agora, só escreverei sobre o tijolo e sobre as suas possibilidades de construção”. Ok, ele não escreve sobre o amor porque está dolorido e busca refúgio em outras coisas sobre as quais possa escrever.

Leitura Afeminada, de Amarildo Felix, é extremamente sensível quando tem que ser, duro quando tem que ser, sensual quando tem que ser.

Sinopse: Um autorretrato multifacetado que incorpora um Macunaíma urbano no século XXI revisitando à deriva a cidade, a noite, os bares e quartos quaisquer. Escrita verbal cujo ritmo lembra estocadas. Poesia imagética, cinematográfica nos seus cortes e corres narrativos, sinestésicos, e que reverbera os ecos do uivo do Allen Ginsberg.

Como eu não conhecia Allen Ginsberg, fui pesquisar e deixo aqui as informações gerais: Irwin Allen Ginsberg foi um escritor, poeta estadunidense, filósofo e ativista. Ele é considerado como uma das principais figuras da Geração Beat nos anos 50, junto com Jack Kerouac e William S. Burroughs e da contracultura que se seguiu depois disso. Ficou conhecido pelo seu livro de poesia Uivo e Outros Poemas.

Amarildo Felix (Aracajú, 1987) é poeta, ator, dramaturgo, psicólogo e psicanalista. Publicou livros de poemas Sotaque/Sintonia (Patuá, 2017) e O desmonte (Patuá, 2019). Em 2019, o texto O desmonte foi indicado ao 1º Prêmio Mix Literário.

Leitura Afeminada, de Amarildo Felix, tem 86 páginas, foi publicado pela Folha de Relvas Edições e está disponível para compra nas plataformas de e-commerce no formato impresso.

Janaína Leme

@eujaestiveem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: