Pular para o conteúdo

Eu Já Estive Em “Memórias do Calabouço”, audiolivro da Tocalivros

A ditadura também fez reféns no Uruguai na década de 70 e aprendi muito com o audiolivro Memórias do Calabouços, escrito por Mauricio Rosencof e Eleuterio Fernández Huidobro, publicado no formato áudio pela Tocalivros.

Narrado por Alexandre Mercki e Leo Raoni, o conteúdo deu origem ao filme “Uma noite de 12 anos”, que está disponível na Netflix, e recebeu o Prêmio Bartolomé Hidalgo na categoria testemunhos e essa é realmente a grande emoção de ouvir a história.

Dois dos três uruguaios que passaram 12 anos mudando de calabouço em calabouço reféns da ditadura cívico militar que tomou o poder no Uruguai em 1973, são os narradores da história.

Na ocasião, se as famílias fizessem denúncias no exterior, se os companheiros Tupamaros atentassem contra os militares, se um resgate fosse tentado, os três reféns seriam executados.

Eles contam toda as dores desses doze anos, onde apesar de presos juntos não podiam se comunicar, em formato de diálogo mesmo. Contam toda a história para os ouvintes, mas um interrompendo o outro quando assim for pertinente, como se eles estivessem aqui, no sofá de casa testemunhando tudo o que passaram por todo esse tempo.

Não entram em mínimos detalhes sobre os momentos de tortura, mas o que foi vivido ao longo desses dozes anos, foi uma tortura sem tamanho. Um deles, Pepe Mujica, que não está entre os narradores, mas era o terceiro preso, esteve prestes a ficar louco, pois o silêncio da boca fechada era torturante já que a cabeça não parava de pensar um minuto sequer.

Vale ressaltar que Pepe Mujica, futuro presidente do Uruguai, é citado, já que era um dos três presos, não participa da produção do conteúdo, mas edita a trama. O prefácio é de Eduardo Galeano.

Alexandre Mercki é um dos narradores que dá voz a trama pela Tocalivros. Radialista e jornalista, atua também como narrador, dublador entre outras atividades. Leo Raoni, que também narra Memórias do Calabouço é ator, jornalista e roteirista, ambos com vários títulos narrados na Toca Livros.

E por último, e não menos importante, vale demais assistir ao filme Uma noite de 12 anos, disponível na Netflix. Acredito que ouvir o audiolivro e depois assistir ao filme seja a melhor ordem, já que o audiolivro é muito rico em detalhes, e depois você pode ver parte de tudo o que foi ouvido e relembrar os momentos já ouvidos. Ao ver o filme, você pode conferir também se tudo o que imaginou aconteceu como o que vai ver na tela.

Um exemplo que trago é do momento em que, para dificultar ainda mais a vida dos três dentro da cela, que já era pequena, os soldados pintam um quadrado dentro do calabouço para limitar a área onde eles podem se mexer, isso todo o tempo enquanto eles permanecerem na cela dali por diante. Eu fiquei imaginando muito a cena, e no filme eles mostram exatamente o quanto o espaço diminuiu, a ponto de quase não conseguir se deitar e dormir dentro do quadrado pintado no chão.

Memórias do Calabouço, de Mauricio Rosencof e Eleutério Fernández Huidobro, e publicado no formato audiolivro pela Tocalivros, tem duração de cerca de seis horas. Está disponível para compra individual por R$19,00, mas também faz parte dos títulos disponíveis no catálogo de assinantes, a melhor das opções, já que o assinante tem acesso a mais de 2,5 mil audiobooks e mais de 40 mil ebooks. Aqui nesse link você pode conferir mais sobre a Tocalivros, assinar e colaborar com o Eu Já Estive Em para seguir nessa parceria 😊.

Janaína Leme

@eujaestiveem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: