Pular para o conteúdo

Eu Já Estive Em “Crônicas de Uma Pandemia”, de Gustavo Miotti

Tivemos a oportunidade de viajar junto com Gustavo Miotti ao ler “Crônicas de uma Pandemia – reflexões de um idealista”, publicado pela editora Buqui, mais uma das leituras coletivas das quais tivemos a feliz oportunidade de participar.

Segundo Ronize Aline, escritora e consultora literária que escreve a apresentação do livro, Gustavo nos convida para um passeio íntimo, já que é próprio dos cronistas abrir a alma para o leitor e revelar mais de si próprio do que o mundo que o rodeia.

E acredito que essa possa ser a melhor definição do livro, que, apesar de passar pelos mais diferentes destinos como Coréia do Norte, Cuba, China, Estados Unidos, Londres, além da extinta Tchecolosváquia, o livro fala bem mais da conjuntura política e econômica dos lugares visitados, do que detalhes turísticos ou partes das viagens em si.

No próprio prefácio o autor já explica que 2020 seria mais um ano para aumentar a lista de países visitados, mas a pandemia acabou com esse projeto, o que motivou Miotti a usar o poder da reflexão das viagens e colocar tudo no papel, resultando em Crônicas de uma Pandemia.

O livro é dividido em duas partes: sob a sombra do comunismo e a fragilidade da democracia composto ao todo por 14 crônicas. Gustavo Miotti teve a oportunidade de viajar para mais de 70 países e já morou no Brasil, na Itália e no Reino Unido e também teve a oportunidade de estudar na Índia e na China. Há cinco anos migrou para os Estados Unidos.

Da primeira crônica guardei a dica de leitura “Cartas à Olga”, 144 cartas escritas por Vaclav Havel para sua esposa enquanto estava preso. Vaclav Havel foi o ultimo presidente da Tchecolosváquia e o primeiro presidente da República Tcheca. Morreu em dezembro de 2011. Na segunda, destaquei a menção a Lukashenko que menosprezou totalmente a existência do vírus durante a pandemia de Covid-19 e a obra Chernobyl, que ainda não li, mas pude assistir ao seriado na HBO e recomendo demais também.

A quarta crônica tem a China como pano de fundo e o que me chamou a atenção diz respeito a quanto o país tem se destacado em educação. Segundo dados do livro, em 2019 os EUA formaram 800 mil engenheiros , enquanto a China graduou 1,7 milhão, crescendo mais de 6 vezes em 20 anos. Por outro lado o sucesso educacional tem um preço e, devido a toda a pressão para boas notas e bom desempenho, há um grande número de jovens deprimidos e pensando em tirar a própria vida.

No quinto texto, que refere-se a Coreia do Norte, Miotti lembra e até sugere que todos leiam 1984, de George Orwell, livro que não pôde levar na viagem porque o país proíbe a entrada de livros, filmes e até a Bíblia. No sexto texto, que se refere à Etiópia, aprendi que trata-se da segunda nação mais populosa da África. Tem uma cultura muito rica e singular e é o único país africano que não foi colonizado por uma potencia europeia. Também é o povo mais religioso do mundo, com mais de 98% da população afirmando que religião é muito importante e 78% comparecendo à igreja semanalmente.

Já em um dos textos do lado Americano, o autor fala bastante sobre a NASA e seus mais de 2 mil produtos que surgiram por ali ao longo dos anos. A NASA publica anualmente um relatório que atualiza os avanços e as contribuições para a sociedade e o setor de saúde é um dos mais beneficiados. A NASA também tem um projeto que ajuda governos e empresas privadas que ajudam a lidar com diferenças interculturais nas relações organizacionais e pessoais. O que chamou a atenção do autor nesse projeto é como americanos e brasileiros veem de forma diferente a dimensão do tempo. Nos EUA realmente ‘time is money’ enquanto aqui no Brasil 15 minutos são gastos apenas para começar uma reunião.

E um dos meus últimos destaques é a menção ao filme “Destinos de uma Nação” em que Gary Oldman interpreta Winston Churchill, mencionado várias vezes em uma das crônicas de Gustavo Miotti.

Algumas frases de destaque mencionadas durante a obra:

⁃ Mantenha-se próximo dos que buscam a verdade e fuja daqueles que a encontraram, Vaclav Havel

⁃ Se as cidades europeias fossem um colar, Praga seria o diamante entre as pérolas.

⁃ Mais vale ser vencido dizendo a verdade, que triunfar pela mentira, Mahatma Gandhi

“Crônicas de uma Pandemia – Reflexões de um idealista”, tem 158 páginas, foi escrito pelo empresário Gustavo Miotti e publicado pela editora Buqui. Conhecemos a obra graças a mais uma das Leituras Coletivas promovidas pela LC Agência da qual tivemos a oportunidade de participar. A obra está disponível na Amazon.

Para quem procura mais livros sobre viagem, O Céu que nos Protege, a Incrível Viagem de Shackleton e Uma viagem pelos países que não existem, são obras indicadas por Gustavo Miotti.

Janaína Leme

@eujaestiveem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: