Pular para o conteúdo

Obra que mistura ficção e realidade e aborda romance, vinganças e mistério envolvendo Tiradentes será lançada em Divinópolis, no dia 13 de Abril

O escritor Flávio Ramos lança no próximo dia 13, na Câmara municipal de Divinópolis, o livro Perfume de Sangue. A obra de 300 páginas é um livro de ficção, mas tem uma trama que poderia de fato ter existido nos tempos do homem responsável pela Inconfidência Mineira. 
A história que se passa em Minas Gerais, no século 18, conta o embate regional entre duas mulheres fortes e marcantes que protagonizam a obra: Joaquina de Pompéu e Maria Tangará que dominavam a sociedade de Pitangui, a Sétima Vila do Ouro das Gerais e, de fato, existiram. Joaquina conhecida pelas atrocidades cometidas contra escravos e comerciantes, mas valorizada pelo imperador e Tangará, descendente de índios e que foi marcante na alta sociedade de Pitangui.  

Numa passagem de Tiradentes por Pitangui, ainda como mascate comercializando produtos, Flávio Ramos cria um encontro entre ele e Maria Tangará. Os dois se envolvem num rápido e tórrido romance que vai gerar consequências que se desdobram durante e após a Inconfidência Mineira. A historiadora Camila Braga, que escreveu o prefácio disse que, por várias vezes o leitor se esquece que esta é uma obra ficcional e ressalta a pesquisa histórica realizada pelo autor   “São muito os dados oferecidos ao longo do livro, o que torna a experiência de leitura ainda mais instigante. Para mim, a grande diversão do livro Perfume de Sangue será justamente a de estimular o leitor a pesquisar o que é e o que não é história real.” – afirmou Camila.  

‘Perfume de Sangue’ mostra como foram importantes nomes como: Padre Belchior, conselheiro de Dom Pedro I; Dona Hipólita, a única mulher a figurar nos Autos da Devassa como Inconfidente e entra no emblemático mistério de onde foi parar a cabeça de Tiradentes depois de ter sido condenado à morte pela Coroa Portuguesa. Depois de esquartejado, as partes foram colocadas nos locais onde ele falou sobre a ideia libertária. A sua cabeça, exposta no alto de um mastro em Vila Rica (atual Ouro Preto) foi roubada e ninguém soube onde ela foi parar. No entanto, conta uma lenda mineira que a cabeça de Tiradentes foi enterrada em Quartel Geral, cidade do centro-oeste do estado, próxima a Pitangui.    Editado pela Gulliver, ‘Perfume de Sangue’ já está à venda nos sites das principais livrarias do Brasil. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: