Pular para o conteúdo

Paulinas lança o “Livro de Josué – Nós serviremos ao Senhor”,tema do Mês da Bíblia de 2022

O Mês da Bíblia teve início no Brasil há mais de 50 anos e é uma atividade que ocorre todos os anos, com o objetivo de estudar um tema ou um determinado livro bíblico. O Mês da Bíblia deste ano, que será realizado em setembro próximo, tem como tema o Livro de Josué, que foi escolhido pela CNBB com as demais instituições bíblicas. A motivação para essa escolha foi a comemoração do bicentenário da Independência do Brasil e o fato de este ser um ano de eleição. Esses eventos estão em sintonia com dois dos principais temas do Livro de Josué: a terra e o papel fundamental das lideranças. 

 

Josué é o livro que narra a entrada na Terra Prometida, após a libertação da escravidão no Egito e a longa travessia pelo deserto. Esse livro não tem a pretensão de oferecer dados históricos ou baseados na Arqueologia, mas de confirmar a presença de Deus em toda a história. 

 

De acordo com a irmã Zuleica Silvano, fsp, biblista do Serviço de Animação Bíblica da Paulinas (SAB) e uma das organizadoras da obra, o Livro de Josué teve um longo período de redação;provavelmente, surgiu no reinado de Josias, mas recebeu influência do período exílico e pós-exílico. O protagonista do livro, Josué, é apresentado como um modelo de líder, servindo como paradigma para as grandes lideranças da terra de Israel. Por isso, é semelhante a Moisés, dado que será seu sucessor, e ao rei Josias, considerado um rei fiel pela tradição deuteronomista. 

 

Josué é capaz de unificar o povo, não por causa de sua força guerreira ou de suas capacidades bélicas, mas por confiar nas promessas de Deus e ser obediente à sua vontade. A pergunta que perpassa esse livro, se considerarmos a sua compilação no pós-exílio, é: por que perdemos a Terra Prometida para os assírios e babilônicos? Será que os outros deuses são mais potentes do que o Deus de Israel? Será que Deus nos abandonou? O autor ou os autores da tradição deuteronomista respondem de forma negativa essas duas últimas questões e reafirmam a fidelidade divina, que cumpriu sua promessa ao conceder a terra ao povo eleito, como prometera aos patriarcas e matriarcas. No entanto, conforme a Aliança firmada com Deus, para permanecer na terra, eram necessárias a fidelidade do povo e a observância aos mandamentos por parte de suas lideranças. Infelizmente, isso não ocorreu, por isso perderam a terra. De fato, o Livro de Josué ajuda o povo a tomar consciência de sua infidelidade, não para ficar se lamentando, mas para retomar a Aliança, e o anima nessa fase de reestruturação, após o exílio babilônico. 

 

Tudo isso está presente na obra que estamos lançando: Livro de Josué – Nós serviremos ao Senhor, escrita por vários autores, biblista e professores das diversas faculdades de Teologia do Brasil. Esse livro estrutura-se em três partes. Na primeira, há uma introdução ao Livro de Josué, na qual são fornecidas informações sobre quem é Josué, quando e onde esse livro foi escrito, suas características teológicas principais, e são oferecidas chaves de leitura, dado que a pretensão desse livro não é apresentar dados arqueológicos ou historiográficos, como já mencionado, e sim ser uma catequese, para fortalecer a fé do povo. Mas, se é uma catequese, como foram as origens de Israel? Para responder a essa pergunta, dedicamos um artigo que sintetiza as várias hipóteses dessa origem, sendo ainda uma questão aberta. A segunda parte da obra lançada por Paulinas tem como escopo abordar teologicamente aspectos importantes presentes no Livro de Josué, como: a questão da terra; o ser povo, e não tribos isoladas; a Teologia da Aliança e da Retribuição; a face guerreira e violenta de Deus, que perpassa todo o Livro de Josué. Na terceira parte, analisamos exegeticamente alguns textos mais conhecidos, como a derrubada das muralhas de Jericó, ou seja, a narração de uma grande liturgia no início da ocupação da Terra Prometida; o papel fundamental da cananeia Raab, uma mulher prostituída, responsável pela sua família, que colabora na tomada da cidade de Jericó, citada nos textos rabínicos e elogiada no Antigo e no Novo Testamentos, sendo mencionada na genealogia de Jesus no Evangelho segundo Mateus. Por fim, estudamos mais de perto o discurso de despedida de Josué, nos capítulos 23 e 24, quando as tribos se reúnem e reafirmam a Aliança com Deus. 

 

Com tantos detalhes ou passagens, o Livro de Josué – Nós serviremos ao Senhor pode parecer uma leitura difícil. No entanto, o livro é acessível, e os aspectos técnicos, empregados quando necessário, são devidamente explicados nas notas de rodapé. Nosso desejo, conforme afirma a organizadora da obra, é que todos possam estudar esse livro pouco conhecido, mas atual, pois traz questões pertinentes para nossa realidade, como: a problemática da distribuição da terra; a terra como dom, e não como um objeto a ser explorado; a importância de escolher bem nossas liderança e representantes, responsabilidade coletiva; e o perceber a presença amorosa de Deus, que perpassa a história bíblica e também nossa vida, nossa história. 

 

Livro de Josué – “Nós serviremos ao Senhor”

Paulinas Editora

Organizadores: Jaldemir Vitório, Jean Richard Lopes, Zuleica Aparecida Silvano

Coleção: Palavra viva

Código: 535800

R$ 49,50

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: